brinde no casamento

Champanhe bom e barato, espumante, sidra… Confira um guia completo sobre a bebida para seu brinde

Poucas bebidas viraram tanto símbolo de celebração como o champanhe. A questão é que nem tudo é champanhe. Na verdade, temos prosecco, espumante, frisante, lambrusco e vários outros. Para te ajudar, vim te contar sobre o champanhe, se realmente existe champanhe bom e barato e as diferenças entre as bebidas mais famosas dos brindes de casamento. Aproveita o clima de fim de ano, prepara as taças e vem brindar – ops, ler! – comigo.

Tipos de bebidas para brinde

Espumante

Também chamado de Sparkling Wine, o espumante é um vinho branco ou rosé que passa por duas fermentações, sendo a primeira igual à de todos os vinhos, para transformar o açúcar natural das uvas em álcool, e a segunda para que os fermentos adicionados produzam o gás carbônico que formarão as famosas e deliciosas bolinhas.

Quando essa segunda fermentação é feita na própria garrafa, temos o método conhecido como Champenoise. Sim, o mesmo processo que dá origem ao espumante mais apreciado – e sofisticado – do mundo, o champanhe. Ou seja, todo champagne é um espumante, mas é preciso mais do que espuma e bolinhas para ser champanhe. Continue a leitura que eu explico mais pra frente.

Quando, porém, a segunda fermentação ocorre em grandes tanques de aço inox, aí o processo se chama Charmat. E como saber qual o método de fermentação da bebida? Muito simples: esses nomes vêm no rótulo. Agora que você entendeu o que é um espumante, vamos para as próximas bebidas.

Frisante

Vinho com menos gás e espuma do que um espumante.

Champanhe

O champanhe é um espumante produzido na região de Champagne, no nordeste da França, à base apenas das uvas chardonnay, pinot noir e pinot meunier. Para ser considerado champanhe, é preciso ser produzido a partir desses tipos de uvas cultivadas num rigoroso processo nessa região específica.

Não importa se o método e os tipos de uvas foram os mesmos, se as frutas não têm o selo da região de Champagne, não é um legítimo champanhe. É assim, por exemplo, com o Crémant, um espumante também francês, mas produzido em outras partes da França.

No Brasil também há alguns vinhos espumantes que imitam os processos de produção do champanhe, porém, por conta dessa questão geográfica, não podem ser chamados de champanhe. Justamente por isso, é difícil encontrar champanhe bom e barato (apesar de barato ser um termo subjetivo, mas vamos ter em conta as outras bebidas que listamos aqui).

 

O Möet & Chandon, por exemplo, um dos champanhes mais requisitados do mundo (só para te atualizar, ele pertence a um dos maiores produtores de artigos de luxo do planeta), tem um custo médio de 200 reais por garrafa. Há outras marcas que custam, entre 250 e 300 reais, mas há, também, nomes como Montaudon Brut, no valor aproximado de 85 reais. Há quem diga que esse é um dos melhores champanhes do mundo.

Veja também: Como montar a lista de convidados para o casamento.

Lambrusco

É o vinho italiano mais consumido no mundo, produzido a partir das uvas da família Lambrusco. Os produtores italianos defendem que apenas vinhos feitos nas regiões de Emilia Romagna e na Lombardia, no norte da Itália, devam se chamar lambusco, como acontece com o champanhe e o prosecco, mas hoje, qualquer vinho feito a partir da fermentação de uma das 12 espécies de uvas lambrusco recebe o nome.

Prosecco

A fama do Prosecco é grande por aqui, em parte porque as bebida é produzida a partir da casta de uva hoje conhecida como Glera, cultivada em vários países (incluindo Brasil), mas típica das regiões de Veneto e Friuli-Venezia Giulia, no noroeste da Itália. Por isso, o prosecco é, em sua origem, um vinho espumante italiano.

Até 2009, qualquer bebida feita a partir da uva Glera podia ser chamada de prosecco, entretanto, uma nova lei italiana impôs que só as bebidas produzidas nessas regiões da Itália devem receber o nome (olha o champanhe lançado a moda!). Os produtores brasileiros terão até 2031 para renomearem das bebidas.

Sidra

Uma das bebidas mais conhecidas, preparada com suco fermentado de maçã ou da pera, e de baixo teor alcoólico.

Então, se você fez aquele brinde bem Leornado Di Caprio no filme O Grande Gatsby, mas a bebida não foi feita na região de Champagne, sinto dizer que você foi engando. Mas não se preocupe! Se não encontrar um champanhe bom e barato, já viu que não faltam opções para considerar um substituto. E para finalizar, pode esquecer a tradição de agitar a garrafa. O recomendado é cobrir a garrafa com um guardanapo de pano, segurar pela rolha e girar a base suavemente. Para finalizar, tem um destaque nos Stories do meu Instagram com a cartela de vinhos que estão em promoção na Wine. Aproveita porque tem muita coisa boa por lá!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *