Do buquê em arco ao sakurá, veja as tendências que usei na minha renovação

Se é para fazer renovação de votos, por que não renovar também as ideias e inspirações? Foi o que eu pensei na hora de organizar a minha cerimônia para celebrar os 10 anos de casamento. O resultado foram várias sugestões que eu adorei colocar em prática e trago para te inspirar também. As fotos são todas da Juliana e Erik, da Damm Fotografia. Dá uma olhada:

Buquê em arco

O buquê em arco está ganhando o coração de muitas noivas, mas, acredite, ele não é tão recente quanto parece. Na verdade, ele foi a escolha da princesa Diana para as daminhas no seu casamento com o príncipe Charles. Aliás, vamos combinar: sem tem uma família para inspirar casamentos por todo o mundo e em todas as épocas, é a família real inglesa, não é?

Bem, voltando a falar do buquê em arco, também chamado de hoop bouquet, o que eu mais gostei nele é a junção da tradição do buquê de noiva com o toque boho que eu buscava na minha renovação, combinando perfeitamente com cerimônias no estilo boho e folk.

Quem pode usar o buquê em arco? Todas as mulheres que usam buquê na cerimônia: noivas, damas e até madrinhas, se a noiva quiser que elas levem também. O único porém para usá-lo é se a noiva quiser jogar o buquê no fim, aí é melhor optar por um mais tradicional.

Folhas secas e suculentas

Com o estilo folk e o clima de casamento nas montanhas já bem escolhido (contei mais sobre isso nesse post), sabia também que não queria flor natural. Então o decorador, um grande amigo da Art’s Eventos, deu preferência aos cactos, suculentas e folhas secas.

Essa opção valorizou ainda mais a beleza natural da Pousada Rabo do Lagarto, em Domingos Martins, então eu pude aproveitar bastante da vista, dos móveis e dos objetos de lá que condiziam com a nossa proposta. Eu queria algo simples, intimista e delicado, e foi justamente o que alcançamos.

Eu conto tudo sobre o estilo folk aqui. Se você não se identificar com ele, ou, na verdade, não sabe com qual estilo de casamento se identifica, veja o e-book gratuito que preparei com 5 estilos de casamento para te ajudar a reconhecer o seu. Lá eu falo sobre o casamento Clássico, Boho Chic, Mini wedding, Praiano e Ecowedding. Para baixar o seu, basta clicar aqui.

Relicário como Boutonière

Eu amo boutonnières. Esse pequeno acessório era visto no século XVI como um símbolo de se proteção do mal e das doenças que assustavam naquela época. Dizem que a tradição ganhou força no século XIX, quando a Rainha Vitoria (olha a família real inglesa aqui de novo!) presenteou o príncipe Albert com um pequeno arranjo de sua flor preferida e ele, em resposta, abriu um corte na lapela com seu canivete e colocou o pequeno arranjo ali, para acompanhá-lo e se lembrar da rainha cada vez que sentisse o seu aroma.

Atualmente, além de carregar todo esse simbolismo, ela serve para diferenciar os noivos dos padrinhos e finalizar o traje dele, dando elegância e cor! Mas isso não significa que a boutonnière tenha de obrigatoriamente ser um arranjo de flor. Que tal se o casal decidir dar um toque a mais de personalidade a esse item?

Eu encontrei na boutonnière uma forma de homenagear a minha sogra, que nos deixou recentemente. Então, acrescentei à lapela um relicário com uma foto dela em seu melhor sorriso e a frase que ela sempre dizia a nós, “Tem bom ânimo”. Preparei a surpresa para meu marido antes da cerimônia e enviei uma caixinha com o relicário e um bilhete, onde estava escrito:

“Quero que pegue a sua boutonnière de forma muito especial e coloque com muito amor! Especial porque se a utilizamos do lado esquerdo do peito, fica próxima ao coração! E no seu coração, ela está aí guardadinha e participando junto conosco desse dia lindo, marcante! Desses 10 anos, ela nos acompanhou por 9 anos e 3 meses….. então devemos tanto a ela a alegria e gratidão dessa vitória!”

Sim, foi muito emocionante e simbólico para nós. Aconchegamos a lembrança da minha sogra num lugar bem especial: perto do coração, ao lado das flores, entre nossa família. Fica aqui a minha dica para você homenagear quem não fará parte fisicamente, mas estará nas lembranças desse dia!

Sakurá na decoração e como lembrança

Foram apenas 12 convidados na nossa renovação, mas eles representavam as 12 pessoas mais especiais na nossa história, então queríamos honrá-las com algo que simbolizasse isso. É aí que entra o sakurá.

O sakurá é a cerejeira típica do Japão, responsável por aquelas imagens lindas de árvores rosas que a gente vê por lá durante a primavera. Justamente por deixarem o país tão florido e convidativo após os meses frios do inverno, as flores trazem alguns simbolismos.

O primeiro é de que é tempo de sair com a família e os amigos para se divertir e apreciar a paisagem, renovada pelo frescor das flores. Era justamente o que estávamos fazendo ali: celebrando ao lado dos familiares, em uma vista quase inteiramente natural.

Outra curiosidade interessante sobre o sakurá é que, após decorarem o ambiente, suas flores ficam em conserva no sal e são usadas para fazer um chá consumido nas festas de casamento para pedir felicidade ao novo casal. E para finalizar, antigamente o sakurá era considerado símbolo do amor, já que enfeitar os cabelos com um galho de sakura ou decorar o quintal de casa com as flores mostrava que as mulheres que estavam em busca de um amor. Se você viu algum filme com uma gueixa, você provavelmente viu que ela trazia algumas flores de cerejeiras na roupa.

Gostou das minhas sugestões? Agora me conta, qual você pretende colocar em prática: o buquê em arco, a cerimônia no estilo folk, o relicário ou o sakurá? Quer mais uma dica: vai por mim, escolha todas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *